Valete de Copas 13 Reasons Why (T1) - Alerta do mundo real - Valete de Copas
travel-one

13 Reasons Why (T1) - Alerta do mundo real

Série da Netflix aborda a temática do bullying e do suicídio na adolescência.

Questões culturais à parte, e que em muito distanciam os hábitos dos norte-americanos dos nossos, “13 Reasons Why” é uma série em forma de murro no estômago. Um alerta que não deixa ninguém indiferente no que ao bullying e ao suicídio no seio dos mais jovens diz respeito: desde alunos, pais, professores, toda a comunidade das instituições de ensino, psicólogos e a rápida - e superficial -  interpretação que fazemos daquilo que vemos nas redes sociais.

A série da Netflix, com produção executiva de Selena Gomez e baseada no bestseller com o mesmo título de Jay Asher, publicado já em 2007, é de tal modo envolvente que a vi em apenas dois dias.

Atores e produtores de "13 Reasons Why" tinham um objetivo que claramente estão a atingir: gerar a discussão à volta do bullying e do suicídio na adolescência. Afinal de contas, todos já fomos adolescentes e, arrisco em dizê-lo com toda a segurança, que a maioria de nós se revê em partes do sofrimento da protagonista ou de outros personagens do elenco.

Nesta cadeia de ligações não há inocentes mas, simultaneamente, a culpa é relativa. É de todos, não sendo de ninguém. Um paradoxo? Sem dúvida que sim. Mas a principal mensagem, na minha ótica, é muito simples: abrandar o ritmo e a redoma em que vivemos, olhar para quem está ao nosso lado e nas nossas vidas e parar para sentir, ouvir e, caso seja possível, ajudar. E como mostra a série, são os gestos mais simples, e muitas vezes tidos como insignificantes, que mais contam.

Se ainda não viu, respire fundo, assista à forte prestação de nomes como Katherine Longford, Dylan Minnette, Brandon Flynn, Christian Navarro, Alisha Boe, Justin Prentice, Devin Druid, Miles Heizer e Ross Butler e retire o que de melhor a história tem para nos contar: a importância da proximidade genuína.

Às: A forma como a personagem principal apresenta as 13 razões da sua atitude, desde o recurso às antigas cassetes e walkmans numa altura dominada pelo digital, até ao facto de cada motivo representar, objetivamente, uma pessoa.

Duque: Entre flashbacks e fastforwards, por vezes torna-se confuso perceber o espaço temporal da série.

Créditos Fotos: 13 Reasons Why

Marta A.

Acredito que o presente maior que a vida nos traz são as pessoas, as estórias, os desafios, os silêncios, as mudanças e as experiências. Trabalhar na área da Comunicação e acompanhar o que de melhor fazem as pessoas, as empresas, as instituições e as marcas é um dos meus privilégios. Gosto acentuadamente de castanhas, morangos e queijos. De caminhar na praia com pouca gente, de andar de avião à janela e de ler sem  ter horas para parar. E das pessoas. Das pessoas tão especiais com quem tenho o privilégio de me cruzar.

0 Comentários

    Dê a sua cartada.

Deixe-nos o seu comentário

Faça login no topo da página para comentar.