Valete de Copas Aldeias do Xisto: uma aventura única - Valete de Copas
travel-one

Aldeias do Xisto: uma aventura única

No coração de Portugal estão escondidos alguns segredos da cultura e gastronomia nacional.

Dificilmente encontraremos um português que não tenha ouvido falar, pelo menos uma vez, das Aldeias do Xisto. A herança patrimonial desta zona da região Centro é conhecida em todo o país e reconhecida internacionalmente como património da humanidade, mas há mais do que construções para descobrir na área geográfica onde se agrupam estas localidades históricas.

Fomos visitar alguns dos locais mais emblemáticos do passado, presente e futuro da região e percebemos melhor o programa de dinamização que está em prática e que permite viver experiências gastronómicas, naturais, turísticas e culturais únicas.

Para começar, passámos pelo restaurante D. Sesnando, uma magnífica porta de entrada para a região com vista privilegiada sobre Penela. No menu “Espírito do Lugar”, o queijo da serra com compota de ameixa para entrada, o caldo de caras de bacalhau sobre pão saloio, favas e nabo, a perna de cabrito com couve e chícharo (um legume típico desta região que se assemelha a uma mistura entre grão de bico e tremoço), e o Queijo Rabaçal sobre triga-milha, puré de maçã emborrachada, mel e nozes foram uma excelente montra do melhor que se faz no Centro e abriram horizontes para as experiências que se seguiram. A acompanhar, o premiado vinho Encosta da Criveira, da sub-região Terras de Sicó, mostrou que aqui também se fazem grandes vinhos.

Seguimos depois para o Parque Biológico em Miranda do Corvo que nos levou num passeio pela fauna e flora portuguesas, com algumas espécies "infiltradas" mas que aqui estão por boas razões – é o caso dos dois lamas peruanos que foram resgatados depois de uma vida dedicada a testes de cosmética. Ursos, aves de rapina, veados, raposas, cães, lobos ibéricos, linces, javalis, mas também vacas, burros, cavalos, ovelhas e porcos fazem parte desta família do parque que foi criado com a intenção de criar uma maior ligação com a natureza e dar emprego a pessoas com necessidades especiais. A estrela da companhia é, como não podia deixar de ser, a cabra, fiel e histórica companheira do povo desta região, fonte do queijo, leite e da chanfana que se tornaram famosos.

Calorias queimadas no passeio, partimos para mais uma experiência gastronómica. Nada melhor do que andar alguns metros e visitar o restaurante Museu da Chanfana, dentro do hotel do próprio Parque Biológico, para conhecer o menu "Viagem pelo Parque Biológico", produzido a quatro mãos pelo chef residente, Vítor Fernandes, e o chef convidado (vindo diretamente do Pestana Lisboa) Luís Miguel Rodrigues.

Este menu incluiu croquetes de chanfana como iguaria de boas-vindas, broa de enchidos e queijos da quinta, e consommé de vegetais da quinta com nabo, morcela e purá de abóbora para entrada, couve recheada com migalhada de chanfana – a rainha – como prato principal e um crocante de nabada de Semide (sobremesa à base de nabo e açúcar inventada por freiras de região). Para acompanhar, os vinhos Terra Solidária, produzidos pelos colaboradores do Parque Biológico de Miranda do Corvo.

Rui Simão, diretor/coordenador da ADXTUR - Agência para o Desenvolvimento Turístico das Aldeias do Xisto, explica que a Xisto Week, iniciativa que ao longo de duas semanas (entre 26 de janeiro e 14 de fevereiro) divulgou os segredos e os sabores mais autênticos da gastronomia regional servida à mesa dos restaurantes das Aldeias do Xisto, pretende pôr o espírito dos lugares à mesa, num conceito de partilha do que melhor se produz e confeciona na região. Esta região de terreno rochoso e terras pobres, onde com o pouco que havia se tentava "partilhar a fome", é agora lugar de celebração do engenho que resultou dessa escassez.

Se à mesa é possível conhecer muito sobre um lugar, também podemos fazê-lo através das pessoas e da cultura. Foi isso que nos levou, depois do belíssimo jantar, a estender a noite numa passagem pela loja do Sr. Falcão, em Miranda do Corvo, com direito a ouvir um pouco de fado de Coimbra.

Esta loja, fundada em 1878, é uma verdadeira viagem ao passado, com prateleiras cheias de brinquedos tradicionais e produtos tipicamente portugueses – desde bolachas a sabonetes ou artigos de decoração. A primeira sala é a loja propriamente dita, mas num espaço ao fundo é possível petiscar e beber, na taberna; numa sala à parte, o bar de xisto, há bebidas e atividades (concertos, workshops…) com regularidade. Filomena Falcão abre estes espaços à sexta e ao sábado e passa boa parte do tempo que sobra a percorrer o país em busca dos produtos tradicionais para colocar à venda na loja que foi do seu pai e do seu avô.

De estômago e alma reconfortados, a noite foi passada no Palácio da Lousã Boutique Hotel, que oferece uma envolvente romântica e uma sensação de estar em casa – além de um excelente pequeno-almoço.

No último dia desta aventura houve ainda tempo para visitar o Templo Ecuménico, em Miranda do Corvo, um local de culto que pretende dar a conhecer todas as religiões e tratá-las com igual respeito. É ainda uma homenagem a todas as vítimas da barbárie gerada por fundamentalismos intolerantes ao longo dos séculos, bem como um local onde se recordam os efeitos devastadores do terrorismo e do extremismo religioso.

O almoço do segundo dia foi servido no Restaurante Sabores da Aldeia, na Aldeia de Xisto do Candal, onde comemos um dos sarrabulhos mais deliciosos da nossa vida. Para sobremesa, o doce da casa: talasnico (uma espécie de pastel feito com castanha, mel e nozes), servido com gelados de baunilha e café e regado com Licor Beirão, a bebida estrela da região. Não resistimos e provámos também o arroz doce que chamava por nós pousado no tampo do louceiro deste pequeno restaurante, tão familiar que nos fez sentir na casa das nossas avós.

De alma cheia, com novos locais e pessoas que nos ficaram na mente e no coração, demos um derradeiro passeio pelas ruelas entre as casinhas de xisto perfeitamente empilhadas sobre a montanha. Concluímos esta viagem com ainda mais vontade de conhecer as regiões do interior do país.

Esta visita foi realizada a convite da ADXTUR - Agência para o Desenvolvimento Turístico das Aldeias do Xisto e da Nuno Nobre Consultoria.

M. L.

Comunicadora (e tagarela) de nascença e bom garfo desde a idade adulta. Para mim viver, viajar, comer, descobrir e amar são os melhores presentes desta vida. O meu sonho é poder viajar pelo mundo a desvendar os melhores restaurantes, hotéis, esplanadas, bares, praias e a conhecer as pessoas e os spots mais cool.

0 Comentários

    Dê a sua cartada.

Deixe-nos o seu comentário

Faça login no topo da página para comentar.