Valete de Copas Os cuidados que devemos ter com a exposição ao sol - Valete de Copas
travel-one

Os cuidados que devemos ter com a exposição ao sol

Tudo o que precisa saber sobre radiação ultravioleta e a proteção solar mais adequada.

Chegou o verão e com ele múltiplas campanhas sobre os riscos da exposição solar. Convém lembrar que devemos ter estes conselhos em conta durante todo o ano, com algumas nuances. Mas vamos por partes.

O sol emite luz visível, calor e radiações ultravioleta. Estes três elementos são fundamentais e, como em quase tudo nesta área, desde que devidamente doseados. Todos estamos expostos à radiação ultravioleta (UV) de forma natural (sol) e, em alguns casos, de forma artificial. O espetro de radiação divide-se em: UV-A (320 a 400 nanómetros), UV-B (280 a 320 nm) e UV-C (100 a 280 nm). Felizmente, na Terra, temos uma camada protetora que absorve toda a radiação UV-C e grande parte da radiação UV-B. A UV-A é a menos filtrada e a que mais nos atinge.

Por seu lado, importa saber que existem fatores ambientais que podem influenciar o nível de radiação UV:

  • Quanto mais alto o sol, maior o nível de radiação ultravioleta. Varia de acordo com a altura do dia e do ano, sendo maior por volta do meio-dia, nos meses de verão;
  • Latitude – quanto mais próxima do equador for a localização, maior o nível de radiação UV;
  • Nuvens – os níveis de radiação ultravioleta são mais altos com céu limpo. No entanto, mesmo com nuvens podem ser altos, devido à difusão pelas moléculas de água;
  • Altitude – por cada 1000 metros de altura, a radiação UV aumenta 10 a 12%;
  • Ozono – a camada de ozono absorve grande parte da radiação ultravioleta. No entanto, os níveis poderão variar ao longo do ano e mesmo do próprio dia. A camada de ozono está, gradualmente, a tornar-se mais fina, desprotegendo a superfície da Terra.
  • Reflexão – a radiação UV é refletida ou difundida, de acordo com as diferentes superfícies. Estima-se que a areia seca da praia reflita 15%, a espuma do mar 25% e a neve cerca de 80%.

Em Portugal, os níveis de radiação ultravioleta são, frequentemente, altos durante todo o ano. No inverno, utilizamos várias camadas de roupa ou roupa densa que permitem uma maior proteção. No verão, as temperaturas mais elevadas convidam à diminuição das peças de roupa e aumento da exposição de superfície corporal.

Relativamente a este tema, a Direção-Geral de Saúde (DGS), tem algumas recomendações:

  • Use roupas leves, largas e frescas. As cores mais escuras (apesar de se tornarem mais quentes) são mais eficazes no bloqueio da radiação UV. Caso as peças se encontrem húmidas, esticadas ou desgastadas podem reduzir a proteção;

  • Tenha em atenção o Fator de Proteção Ultravioleta (UPF) nas etiquetas de algumas peças de vestuário (por exemplo, um material com UPF de 20 apenas permite a passagem de 1/20 da radiação UV para a pele, ou seja, 5%);

  • Utilize chapéu e óculos escuros (em especial, as crianças e pessoas de pele clara);

  • Tenha a consciência que ficar debaixo de uma sombra ou de um guarda-sol não oferece proteção suficiente contra a radiação UV.

Deste modo, é muito importante aplicar protetor solar nas áreas expostas diretamente ao sol. Deverá ter em atenção o Fator de Proteção Solar (FPS) - mede a proteção contra a radiação UV-B: responsável pelo aparecimento de eritemas/queimaduras; frequentemente a radiação UV-A não causa eritemas, no entanto induz danos a nível celular, podendo conduzir a cancro cutâneo e envelhecimento da pele.

Mas em que consiste o Fator de Proteção Solar? Com filtros solares com FPS 15 (devidamente aplicados), a pele leva 15 vezes mais tempo para desenvolver eritema; se for usado um filtro com FPS 25, leva 25 vezes mais tempo e assim por diante. Filtros solares com FPS 25 bloqueiam 96% dos raios UV. No entanto, parecendo que não se ganha muito com FPS maiores: com FPS 50 levará 50 vezes mais tempo a desenvolver eritema.

A DGS recomenda usar sempre protetores com FPS superior a 30, devendo a aplicação ser feita 20 minutos antes da exposição solar.

O protetor deve ser reaplicado a cada hora ou, no máximo, duas horas. O mesmo deve ser feito após banhos. Todavia a exposição solar deve ser evitada entre as 11h e as 17h. Também aconselhamos a consulta ao dermatologista para averiguar se a pele poderá precisar de cuidados adicionais.

E lembre-se: muita coisa em excesso é prejudicial ao equilíbrio do nosso corpo. Mas na dose correta... é fundamental!

Abílio Cardoso Teixeira

Marido. Pai. Amigo. (Também) profissional de saúde e corredor amador. Curioso. Máxima profissional: tudo tem uma explicação. Máxima de vida: tudo tem uma explicação!

0 Comentários

    Dê a sua cartada.

Deixe-nos o seu comentário

Faça login no topo da página para comentar.